História Peugeot: As novidades do novo milênio

O ano de 2001 é marcado pelo surgimento do 307, que vem substituir o 306. Trata-se de um hatch de duas ou quatro portas, com uma vasta gama de motores e acabamentos, mas que conta com grande quantidade de itens de série, sem falar mas linhas modernas que caracterizam os produtos da Marca. Além disso o 307 já incorpora a terceira fase do sistema multiplexado, ainda mais eficiente que os anteriores.
Mas para nós a grande notícia é o início da produção do 206 na unidade de Porto real, primeiramente com motor de 1,0 litro. Dessa mesma linha sai ainda o Citroën Picasso, com motor de 2,0 litros. O senhor Cess Hermann, que substituíra Thierry Peugeot no comando das operações nacionais da Peugeot em 1997, dá lugar ao senhor Bruno Grundeler.

O 206 continua sua carreira de sucesso dentro e fora das pistas. Na Europa é o carro mais vendido. No Mundial de Rallye torna-se bi-campeão. Mas há mais o que comemorar: a fábrica de Rennes faz 40 anos; da unidade de Vigo, na Espanha, sai o veículo número 6.000.000! E a fábrica de Metz faz sua 25.000.000a caixa de câmbio. A Peugeot apresenta ainda a Partner com célula de combustível e o grupo supera, pela primeira vez, a marca das três milhões de unidades, com exatos 3.136.000 veículos fabricados.
Para um carro moderno como o 307, a versão break teria de ser igualmente revolucionária. E foi. Além de contar com uma versão de sete lugares, apresentava o teto panorâmico de vidro, com uma tela retrátil operada eletricamente. Em 2003 ela já estaria disponível no Brasil, com cinco lugares e o fantástico teto.

A Peugeot lança o 807, no lugar do 806, que em 2004 já chegaria ao Brasil, com portas corrediças em ambos os lados, acionadas eletricamente, sete lugares, caixa automática AL4 com sistema de engate manual Tiptronic, entre muitos outros atrativos. E nas pistas, mais uma conquista do 206, que se sagra tri-campeão do Mundial de Rallye. Na Europa a linha ganha o reforço do 206 SW, que passaria a ser produzida no Brasil em 2004. O Boxer, por lá, ganha novo design e Thierry Peugeot assume a presidência do Conselho Administrativo do grupo. São produzidos 3.264.000 veículos em 2002, ano em que o 307 é eleito o Carro do Ano na Europa.

O 206, em 2003, recebe sutis mas importantes mudanças estéticas e de acabamento, que o tornam ainda mais interessante sem perder a identidade. E sem alterar as linhas que tanto agradam aos consumidores. O 307 CC é lançado, com o mesmo sistema de abertura do teto que consagrou o 206 CC. Na Eslováquia é lançada a pedra fundamental da fábrica de Trnava, com funcionamento previsto para 2006, e o Peugeot Partner é reestilizado na Europa. Mas talvez o fato mais marcante seja a marca de 40 milhões de unidades produzidas, atingida em agosto de 2003.

Em 2004 a Peugeot introduz no 206 brasileiro as mesmas mudanças ocorridas na Europa, em 2003. Ao mesmo tempo ocorre uma reestruturação da gama, com novas nomenclaturas e disponibilização do motor TU3JP, de 1,4 litro. Em abril é iniciada a produção do 307 na Argentina, cuja maior parte da produção será destinada ao Brasil. Com a chegada ao mercado local do 307 Mercosul, como é denominado, a gama é reestruturada e o modelo passa a contar com a opção de câmbio automático AL4, com sistema de engate Tiptronic.

Nesse mesmo mês chega ao fim a produção do 406, em Sochaux, após 1.667.364 exemplares em dez anos de fabricação. O Coupe continuaria até outubro de 2004, quando foi encerrada sua produção após 115.000 unidades. Para finalizar a fabricação desse modelo, foi feita uma série especial de apenas duas mil unidades (Ultima Edizione), tendo uma plaqueta no painel em alusão ao fato.
Ainda em abril começa a ser produzido aquele que é tido como um dos mais modernos veículos do segmento dos médios, o 407, que passou a ser disponível aqui já em 2005. Dentre as inúmeras novidades, destaque para a caixa automática de seis marchas, pela primeira vez empregada em um veículo da Marca. Desta vez a versão sedan e break foram lançadas simultaneamente, também um fato inédito para a Peugeot. E surge o 1007, que pela primeira vez emprega uma nomenclatura com dois zeros em produtos da empresa. Acontece também o Regresso da Peugeot ao mercado chinês e, ao mesmo tempo, mais de 800 000 exemplares do 206 produzidos pelo quarto ano consecutivo.

Acompanhe… Em breve mais novidades sobre a história Peugeot!

 

Esta entrada foi publicada em No Túnel do Tempo com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s