História Peugeot; Novas parcerias surgem…

O ano de 1952 é especial para a Marca, que comemora nada menos que um milhão de unidades produzidas. Dois anos depois é apresentado o 203 CC, já como modelo 1955, com maior balanço dianteiro, novos faróis e câmbio sincronizado. O 403, lançado em 1955, marca o início da colaboração entre Peugeot e Pininfarina, sendo o primeiro veículo da empresa a contar com mola traseira helicoidal, além de ser o primeiro veículo de série a contar com cabeçote do motor em liga-leve e câmara hemisférica, caixa de marchas totalmente sincronizada, pedais suspensos e vidro dianteiro curvado.

No princípio dos anos 50, o prazo de entrega de um 203 era de 18 a 24 meses. E a produção total da empresa atinge 112.223 unidades, primeira vez que a marca de 100 mil unidades é superada. Em 1956 chegam os 203 Cabriolet e Coupe, mesmo ano em que se instala em Sochaux o primeiro computador da empresa, um IBM 650, para gestão de estoques. Em função de uma crise no setor de bicicletas, em 1956 a Cycles Peugeot passa a produzir componentes automotivos experimentalmente.
Em 1959 o 403 recebe o primeiro ventilador elétrico desconectável no radiador. Apenas sete anos depois de atingir a marca de um milhão de unidades vendidas, a Peugeot atinge dois milhões em 1959. O Leão teve de deixar de ser utilizado sobre o capô dos veículos, por uma questão de segurança para pedestres e ciclistas

Década de 1960

O 403 D, apresentado no ano anterior, passa a ser comercializado. Equipado com motor Indenor, foi o primeiro veículo de série francês a contar com motor a diesel e se tornou um grande sucesso entre as empresas de táxi. Por causa da demanda de produção, é tomada a decisão de criar um novo centro de produção em Mulhouse, numa área de 300 hectares.
Em maio é apresentado o 404, com a difícil missão de suceder o 403. E não falhou. Tinha a carroceria assinada por Pininfarina, com um modernismo sóbrio e de bom gosto, que marcava uma renovação total da imagem da marca.O motor era de 1.618 cc, o que lhe permitia atingir 140 km/h. E foi o primeiro veículo de série a ter o motor inclinado em 45º e freios com assistência por depressão, o Mastervac. Já em 1961 o 404 se beneficia do primeiro motor francês com injeção de combustível, a Kugelfischer. É apresentado o 404 Cabriolet e a produção anual atinge 260.000 unidades.

Em 1962 surge a versão familiar do 404, complementando a linha. No ano seguinte é atingida a marca dos três milhões de unidades produzidas e em agosto o 403 atinge um milhão de unidades. Esse ano marca o início de aproximação entre Citroën e Peugeot, que firmaram um acordo limitado de associação. É lançado o 404 com transmissão automática Jaeger.
Em abril de 1965 a Peugeot apresenta seu primeiro modelo com tração dianteira e freios dianteiros a disco, o 204, que contava ainda com suspensão independente nas quatro rodas e motor de liga-leve com comando no cabeçote. A Sociedade dos automóveis Peugeot torna-se um holding que detém, com o nome de Peugeot SA (PSA), o controle de todas as sociedades do grupo. Um cupê 404 diesel monovolume bate 40 recordes mundiais no anel de Monthléry.
O ano de 1966 é marcado pela assinatura de um acordo de associação com a Renault, sem participação financeira. Além disso são lançados os 204 Coupe e Cabriolet e o fabricante sueco Volvo assina um acordo conjunto com a PSA e Renault, para produção de motores. No ano seguinte ocorre o lançamento do 204 Break a diesel, sendo o primeiro motor desse tipo totalmente em alumínio e o primeiro veículo a diesel com tração dianteira. E também o menor motor a diesel do mundo, com apenas 1,2 litro. A Peugeot atinge a cifra de quatro milhões de unidades produzidas.


Em setembro de 1968 acontece a pré-estréia do 504 no Salão de Paris, que seria o novo modelo topo de linha da Marca. Foi um sucesso absoluto. Além das linhas projetadas por Pininfarina, diferente do que havia no segmento até então, foi o primeiro automóvel francês a receber vidros laterais curvos e apoios de cabeça dobráveis. Havia a opção de motorização com carburador ou injeção de combustível. Nesse ano foi finalizado o anel de velocidade do Centre Technique de Belchamp, com 1.424 metros de extensão, numa área de 114 hectares.
Em 1969 é lançado, no Salão de Paris, o 304. No Salão de Genebra é apresentado o 504 Coupe e Cabriolet, que também recebeu a opção de transmissão automática. A produção anual atinge 500 mil unidades e a Peugeot se torna o segundo fabricante francês.

Acompanhe… Em breve mais novidades sobre a história Peugeot!

Esta entrada foi publicada em No Túnel do Tempo com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s