História Peugeot: Crescimento das vendas mesmo em meio a crise

Embora a produção de automóveis esteja em franca ascensão, em 1930 são produzidas 162 mil bicicletas em Beaulieu, na França. Em 1931 os reflexos da crise ocorrida na América começam a chegar à Europa. A Peugeot se concentra na produção do 201 e, pela primeira vez, é aplicada uma suspensão dianteira independente num veículo de série. Em 1932 ocorre o lançamento do 301 e a crise se consolida no continente europeu. A produção cai de 43 mil unidades (1930) para 28 mil unidades. A boa notícia é que o 201 vence o Rali de Monte-Carlo.

Mas bons sinais começavam a surgir e em 1933 a produção aumenta para 33 mil unidades. No Salão de Paris a Peugeot apresenta o 301 Éclipse, com destaque para o design elegante e ao mesmo tempo sofisticado. São lançadas as primeiras ferramentas elétricas da Peugeot nesse mesmo ano. Em 1934 surgem os primeiro modelos com teto de aço dobrável do mundo, espécie de “avôs” do 206 CC e 307 CC. Trata-se do 401d e 601d, de 1934.

Mas o modelo mais famoso seria o 402 Éclipse, de 1935, desenhado por Georges Paulin, uma das versões do célebre 402. No primeiro ano de produção apresentava o mecanismo de operação do teto com acionamento elétrico, sendo substituído por um sistema manual um ano depois. A Peugeot manteria a patente desse sistema por 50 anos! Com motor de 1991 cc, quatro cilindros e 55 cv, foi feito até 1939 e, como seus parentes mais modernos, tem no design um dos pontos fortes do projeto.
Ainda em 1935 ocorre a apresentação do 302 no Salão de Paris, que adota também a linha “fuso” Sochaux. Mas o grande destaque ficou para o 802, desenhado por Jean Andreau, um veículo futurista derivado do 402 e que nunca foi produzido em série. Para 1938 são vários os lançamentos da marca: chega o 202, com motor de quatro cilindros em 1.100 cm3, o 402b Familiar e Táxi, com motores a diesel de 2,3 litros; e ainda o 402b Ligeiro, com motor de 2.142 cc e 63 cv. Em 1939, ano em que eclode a Segunda Guerra Mundial, a Peugeot produz 41.948 veículos.

Década de 1940

De 1940 a 1945 a empresa sofreu as agruras da guerra. Mesmo assim apresentou, em 1941, o VLV, um veículo elétrico que teve 377 unidades vendidas. A fábrica de Sochaux é invadida pelos alemães e produz 500 unidades por mês. Em 1943, durante as noites de 15 e 16 de julho, bombardeiros Lancaster da RAF atacam a fábrica. A liberação dessa unidade pelos aliados só ocorreria em 18 de novembro de 1944. As perdas são enormes e restaram apenas 9.400 funcionários. Houve a necessidade de se buscar o material saqueado da empresa por toda a Alemanha e Suíça, para colocar a planta em funcionamento. São iniciados os estudos para a produção o 203 e o 202 volta a ser produzido.Já em 1946 são produzidos 14.000 unidades do 202 e em junho é terminado o primeiro protótipo do 203. Em outubro é apresentada a Break 202, com carroceria de madeira e fabricada no Canadá. No ano seguinte é criada a Sedis, especializada na produção de transmissões. E em 1948 é apresentado o 203, no Salão de Paris. Tem motor de 1.290 cc e 42 cv e foi o primeiro carro da Peugeot com carroceria tipo monobloco.
Em 1949, graças ao imenso esforço empreendido por diretoria e funcionários, a empresa retoma a mesma capacidade de produção de antes da guerra e ainda lança o 203 Sedan Conversível, Familiar e Comercial.

Acompanhe… Em breve mais novidades sobre a história Peugeot

Esta entrada foi publicada em No Túnel do Tempo com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s