História Peugeot: Como tudo começou

O Início
No ano de 1810 a família Peugeot, da região de Montbéliard, na França, transforma seu moinho de farinha, localizado em Sous Cratet, em uma fundição de aço laminado a frio, marcando o início da era industrial para a Peugeot.
É fundada a sociedade Peugeot-Frères e Jacques Maillard-Salins. Partindo das matérias-primas e tecnologias disponíveis na época, iniciaram a produção de lâminas de aço fino e molas. Em 1818, o registro da patente de laminação a frio marcou a abertura de uma nova era. Novas fábricas da Peugeot foram construídas para produção mais diversificada: laminados, dispositivos para ferramentas, utensílios domésticos etc.

Surge o Leão
No decorrer da década de 50, a Peugeot-Frères registrou publicamente alguns símbolos, com a finalidade de classificar as ferramentas fabricadas: um leão (com ou sem flecha) para ferramentas feitas com aço de alta qualidade; uma Lua crescente, no caso do uso de aço temperado; uma mão, quando feitas com aço meio temperado e uma estrela, identificando o aço de qualidade inferior. A partir deste período, estabeleceu-se uma verdadeira linguagem simbólica para identificação dos diferentes tipos de produtos. Em 1858, o Leão foi registrado em cartório como símbolo da Marca Peugeot. A produção da Peugeot estendeu-se ainda a utensílios próprios para as mulheres, como máquinas de costura, máquinas de passar roupa, ferros elétricos, máquinas de lavar, fogões e uma ampla gama de eletrodomésticos.

As bicicletas
Durante a época em que estudou na Inglaterra, o visionário Armand Peugeot se deu conta de como o público havia se encantado por um novo meio de locomoção: a bicicleta. Ao retornar à França, deu o impulso necessário para criar uma oficina com 300 trabalhadores para fabricar as bicicletas da marca Leão. Efetivamente, foi em 1882 que a Peugeot iniciou a fabricação e o comércio da primeira bicicleta da Marca.

Os automóveis
O ano de 1889 foi um ano histórico, graças a apresentação do primeiro automóvel com o nome de Peugeot. Foi Armand Peugeot quem criou este triciclo, em parceria com o grande especialista do vapor, Léon Serpollet. O veículo, com o nome de Serpollet-Peugeot, foi apresentado na exposição universal de Paris. As fábricas Peugeot empregavam nessa época 1.100 assalariados. Dessa mesma união nasceu, no ano seguinte, o primeiro quadriciclo movido a gasolina da marca Peugeot: o Tipo 2, equipado com motor Daimler, pesava cerca de 500 quilos. O veículo possuía caixa de duas velocidades e desenvolvia uma potência de 1 cv a 1000 rpm. A partir deste período, a Peugeot passou a produzir uma série de modelos. Em 1892, foram 29 veículos. No ano de 1894, um Peugeot venceu a primeira corrida de veículos a propulsão mecânica da história, iniciando a tradição da Marca em corridas de automóvel, que se tornou uma paixão. Um ano depois, os irmãos Michelin criaram o conceito de pneu, montando os primeiros pneumáticos em um automóvel.

A separação
Em 1896, Armand Peugeot decidiu separar-se da sociedade Peugeot-Frères para construir, em Audincourt, a Sociedade dos Automóveis Peugeot. Eugène Peugeot, primo de Armand, manteve-se a frente da fabricação de veículos de duas rodas, até o momento em que, com o sucesso cada vez maior dos veículos a motor, admitiu que o automóvel seria o futuro. Para não interferir na fabricação de Armand, passou a motorizar triciclos que, passando a impressão estonteante de deslizarem como o vento, constituíram os antepassados da primeira moto Peugeot, que surgiu efetivamente em 1902. Em 1897 surge o modelo 15, primeiro veículo da Marca com motor 100% Peugeot.

Peugeot no Brasil
No ano de 1898 o Brasil entrava no mapa-mundi da Peugeot. Chegava ao Brasil o Peugeot Phaéton tipo 15, primeiro carro da Marca no país, trazido por um brasileiro com sólidas ligações com a França: Alberto Santos Dumont. Em 1899 a gama da Marca compreendia 15 modelos, de dois a 12 lugares. Na virada do século ocorreu a consolidação como fabricante, alcançando a produção de 500 unidades, um número expressivo para a época.

Primeira década de 1900
O tipo 36, lançado em 1901, foi o primeiro automóvel a ter motor dianteiro vertical, capô, volante com direção, no lugar de um guiador, e coluna inclinada localizada na parte dianteira. Também foi o primeiro modelo da marca com layout semelhante aos veículos atuais, pois possuía quatro lugares – dois na frente e dois atrás. Era o que havia de mais moderno na época. Neste cenário, o início do século vê surgir ao mesmo tempo a primeira moto de 5 cv Peugeot e o primeiro veículo popular da Marca, o Bebé Peugeot tipo 69. Datado de 1905, o veículo possuía motor monocilindro vertical e teve 400 exemplares produzidos. A partir daí, Armand Peugeot passou a renovar completamente a sua gama todos os anos, o que aconteceu praticamente até à primeira guerra mundial. Em 1906 a Peugeot assumia uma dimensão industrial, produzindo mais de 2.900 veículos, entre eles o tipo 81, que possuía além do volante um pequeno capô e um grande pára-brisas, que protegia os ocupantes da chuva e servia de fixação para uma capota.


Em breve mais novidades sobre a história Peugeot!

Esta entrada foi publicada em No Túnel do Tempo com as etiquetas , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s